quinta-feira, dezembro 04, 2008

Parte I - a fuga

Despedi-me como se até amanhã, esperei um pouco no meu quarto que toda a cidade adormecesse, toda a minha cidade. Quando os sonhos despoletavam nos inconscientes dos amigos, fugi. Sair de Lisboa pelas cinco da matina não parece sair de Lisboa, mas sim fugir de Lisboa. A cidade parece vazia de gente e de alma, um corpo cadavérico à espera de um beijo de principe para acordar. Fui para o Porto, atravessei a invicta e voei para Paris. Ainda não sei para que lado a minha vida mudou, os que possuem esse conhecimento não anunciaram nada ainda, estou à espera, fugido em Paris. Que bom sitio para se estar em fuga, acho que vou ali fugir para o Museu de Orsay, chovem canivetes (palavra de origem francesa) e acabei de constatar a unica coisa que me irrita verdadeiramente ao viajar, as diferenças dos teclados de computador.

1 comentário:

Telemaquia-org. disse...

Descobrimos o teu blog, G(ambozino). :)

Podes crer que o tornaremos a visitar - tens aqui um bom espaço.