segunda-feira, maio 11, 2009

porque é que eu gosto do Lost?

Um homem acabado de ressuscitar vai com o homem que o matou e com outro que nunca envelhece matar o líder do seu povo, que nunca até à data lhes apareceu à frente.

Entretanto há trinta anos, um outro homem vai tentar remediar o seu passado, que é no seu futuro, fazendo uma bomba explodir no passado que é o presente, embora seja o futuro.

Para além disto ainda há um homem que é abatido pelas costas pela própria mãe, que nesse momento o carrega no ventre, porque decide apontar uma pistola ao tal outro de há bocado que não envelhece nunca.

Noutra ponta da ilha um homem vê pelos binóculos o pai a convencer a mãe a entrar num submarino, a mãe carrega nos braços um bébé que é ele próprio, o que segura os binóculos.

Dentro do submarino um outro homem prepara-se para abandonar a ilha com a mulher que ama, e com outra mulher que amou no seu passado, que é o futuro.

Confuso?
Não.
Lost.
Exercício para o pensamento.

4 comentários:

costela de adão disse...

Não acompanhei desde o início e só vejo de vez em quando, o que contribui ainda mais para a confusão. Isto é muito marado e no fim, acho que nós é que andamos todos perdidos com este argumento. Aquilo há-de ter uma explicação plausível - espero. Acabou de começar novo episódio na Fox, vamos ver o que nos reserva.

gambozino disse...

só detectei uma ou duas falhas e já nem me lembro delas. ver do início é uma experiência cavalgante.

Brigitte disse...

Comecei a ver a meio...fiquei meio baralhada e deixei de ver!!!

Lá por casa andam uns dvd´s com as series, a ver se me dedico e não me perco!!!

:)

f. disse...

adoro ficar sem perceber. venha a próxima season!
(vou-te linkar, mr. dryman) abraço grande