terça-feira, agosto 25, 2009

primaveril

nos intervalos de ser feliz sinto azia no coração
a minha paz entrega-se ao tempo que passa
como uma pausa que antecede o ponto mais alto
de uma canção

respiro fundo para não perder o fôlego de a cantar
e espraio num refrão toda a espera nocturna
dos dias felizes que teimam em nascer
em me saudar

se me cubro de solidão é porque tu me demoras
se em sonhos me pinto de amanhãs coloridos
é porque anseio o abrigo do teu seio
e as tuas horas

chega depressa com o sopro peregrino do vento
tragam-te os pássaros que migram para mim
pois que eu estou pronto, primaveril
perene rebento

3 comentários:

Clavel Rojo disse...

Gosto de tudo, menos do "sinto azia no coração". Não me soa bem...

R.L. disse...

lindo. os teus poemas deixa-me assim, meia bronca e sem palavras.

SG disse...

:)