terça-feira, janeiro 06, 2009

ai há lodo no cais há...



Marlon, deixa-te de branduras e veste o casaco da revolta. Aquele que condena os outros, os que os anjos não protegem. Leva a coça da tua vida, levanta-te e anda. Assim, todos os outros - os mortais - te seguirão.

Eu gosto de todos os tipos de filmes, mas os antigos encantam-me mais. Há qualquer coisa de eterno naquelas imagens, naqueles sons. Nos olhares das personagens, que atingem a imortal plenitude, pois há muito que os actores e realizadores que as criaram e sustentaram envelheceram ou pereceram. Na forma em que a obra de arte, já orfã de autor (digo absolutamente orfã), deixa lentamente de ser apenas uma obra de arte, mas passa a ser uma peça do grande puzzle da nossa condição, da nossa servidão para com a vida e o tempo, e a vida.

On the Waterfront (Há Lodo no Cais), 1954, Real. Elia Kazan; com Marlon Brando, Eva Marie Saint e Karl Malden

1 comentário:

The queen disse...

Hummm, é pena Muitas vezes não encontrar essas pequenas pérolas...Btw, gosto de vir ao teu blog, só para ouvir as músicas (: