quarta-feira, agosto 19, 2009

a última fronteira

Uma canção construída pedra por pedra por dezenas de músicos que nunca se conheceram, cada pedra é uma verdade, uma forma de existir, e todas se unem numa verdade muito mais alta e utópica, a paz - sinónimo abstracto da concreta guerra.

1 comentário:

Andreia Amorim disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.